Mesa: O que torna um filme “queer”?

Veja também

#queer #lgbtqia #empoderamento

» 13 NOV, sábado, às 18h @ PLATAFORMA: YOUTUBE MIXBRASIL (60’) 
12 anos | MixLab Spcine | Acessibilidade: Libras

O que torna um filme “queer”? A presença de uma personagem LGBTQIA+? As referências culturais? O desafio a uma cultura cinematográfica heteronormativa, branca e cisgênera? Nesta mesa, uma conversa sobre a identidade queer cinematográfica e seus desdobramentos.

Mediador: Marcio Miranda Perez, Coordenador da programação de cinema do Festival Mix Brasil.

André Antônio: Um dos fundadores do coletivo Surto & Deslumbramento. Em 2015, lançou seu primeiro longa-metragem, “A Seita”, exibido em festivais como Queer Lisboa, Festival de Cinema de Gotemburgo, Mix Brasil e Festival do Rio. Seu média “Vênus de Nyke” estreia em 2021 no Festival Internacional de Cinema de Valdivia, no Chile. O roteiro do seu segundo longa, “Salomé”, foi selecionado pelo Laboratório Novas Histórias (Sesc São Paulo) e pelo GUIÕES (Portugal).

Cássio Kelm: Estudou direção na Escuela Internacional de Cine y Televisión (EICTV), em Cuba. Dirigiu 15 curtas e um longa, “Mães do Derick”, que integrou a Mostra Competitiva Brasil do Festival Mix Brasil de 2020. Trans não binário, administra a Haver Filmes.

 

 

Lara Duarte: Mestranda em Artes da Cena pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), bacharela em Artes Cênicas pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) e formada em Dramaturgia pela SP Escola de Teatro. Integrou o Teatro Base – Grupo de Pesquisa Sobre o Método da Atriz. Integrou o Núcleo Experimental de Artes Cênicas do SESI-SP. Dramaturga e assistente de direção da peça “Stabat Mater”, com direção de Janaína Leite. Curadora e organizadora do festival de dramaturgia Jornadas Heroicas Possíveis.

Victoria Negreiros: Baiana, formada em Audiovisual pela Universidade de São Paulo (USP), atua como diretora e roteirista. “Como Respirar Fora D’água” é seu curta-metragem de estreia.