Apresentação

Boas-vindas ao 31º Festival Mix Brasil!

Num momento em que a individualidade e os conflitos avançam, o Mix Brasil representa um tributo à força da pluralidade e à riqueza das narrativas da nossa comunidade. “A Gente Nunca Foi Tão Mix” não é apenas um tema. É uma afirmação de que, apesar dos pesares, e também por causa deles, a gente pode construir um presente e um futuro onde gavetas, armários e estereótipos deixam de fazer sentido.

Ao longo da extensa programação — com 137 obras entre filmes, experiências XR, espetáculos, games e atividades como shows, oficinas para crianças e profissionais do audiovisual, painéis de literatura e festas — é apresentada uma imensa diversidade de talentos e perspectivas provenientes de 37 países. Uma jornada transmídia que transcende barreiras, inspira e leva por caminhos diversos da criação, da inclusão. do desejo e da liberdade. Uma celebração de quem a gente é, ama e sonha, e das eternas presenças de André Pomba, Zé Celso Martinez Corrêa e Danilo Santos de Miranda.

Algumas mudanças, iniciadas já há algum tempo, seguem avançando. Consolidando o processo de integração da programação que busca não hierarquizar informações, propomos uma nova forma de navegar pelo conteúdo do festival. Totalmente online, busca dar o mesmo valor a todas as manifestações artísticas presentes no festival e também sinaliza o início de um processo ativo de redução e conscientização sobre impactos gerados por nossas atividades para o meio ambiente. Ações de acessibilidade se fazem presentes para além das salas, com ação de inclusão e formação de público para pessoas com autismo.

A campanha criada por Danilo Janjacomo, dirigida por Brendo + Gonfiantini e produzida pela Stink, e a estreia mundial do novo trabalho de Igi Lola Ayedun, “Eclosão de um sonho, uma fantasia”, ambos realizados com inteligência artificial, são um marco do capacidade de transcender fronteiras tradicionais da arte e da capacidade de inovar presentes na programação.

O MixLab Spcine, que tem o caráter de formação para profissionais da comunidade, traz entre os destaques o compartilhamento de experiências de cineastas, como Lillah Halla e Zeno Graton, e novo projeto no metaverso da diretora e dramaturga Janaína Leite.

As novidades se somam às tradições, com os 25 anos de Marisa Orth comandando o indescritível Show do Gongo e Silvetty Montilla apresentando os impagáveis shows que revelam, já há quase duas décadas, Novos Talentos drag queen e do canto. Renata Carvalho se soma a Gus van Sant, João Nery, Marina Lima, Marcia Pantera, Ney Matogrosso e Linn da Quebrada na luxuosa galeria de trajetórias homenageadas com Ícone Mix.

Tudo isso acontece em quatro espaços no MIS (onde o Mix Brasil nasceu, em 1993), Cinesesc, Teatro Sergio Cardoso, Cine Olido, Instituto Moreira Salles, Sala Paulo Emílio no CCSP, Museu da Lingua Portuguesa, Biblioteca Mario de Andrade, YouTube, Instagram e Facebook @festivalmixbrasil, e nas quatro plataformas digitais parceiras — Sesc Digital, Spcine Play, Itaucultural Play e CultSP Play.

A magia acontece graças à incrível equipe guerreira que se reúne a cada ano e ao patrocínio de Itaú, Mercado Livre e Spcine, o apoio de Sesc SP, Consulado da França em São Paulo e uma série de parcerias sem as quais não poderíamos apresentar tantas atividades que celebram a diversidade de identidades, paixões e expressões artísticas LGBT+!

André Fischer